Brasil CNPq araucaria nuepe

Clique na figura a acesse o “microscopoinho” , blog com com muita informação e debates sobre as questões da adolescência!

 

O microcopoinho b

Extensão

Apenas 15% dos alunos brasileiros da rede pública de Ensino Fundamental e Médio estudam em escolas com laboratório de Ciências, segundo dados da Secretaria de Educação do Estado do Paraná (SEED/PR).

Atividade em sala de aula

Neste contexto, a ideia do projeto surgiu a partir de inúmeras consultas e solicitações de professores de escolas públicas que chegam ao Departamento de Biologia Celular em busca de orientação, doação de material didático ou empréstimo de equipamentos.

Esta clara demanda reprimida gerou inquietude e perplexidade. O que a UFPR poderia fazer para atendê-los?

O MICROSCÓPIO DEVERIA IR ATÉ A ESCOLA!

 

Oficina pedagógica

E assim, em 2010, surgiu o Projeto de Extensão Universitária “O Microscópio vai à Escola”. Hoje, já em sua segunda edição, o projeto continua focado nas escolas públicas, em especial aquelas que dispõem de parcos recursos para o ensino da Biologia.  O projeto pretende, com visitas à escolas, palestras e dinâmicas em salas de aula e blog educativo fomentar a motivação dos alunos do ensino fundamental e médio para a aprendizagem da Biologia microscópica e suas implicações na saúde e na ciência.

Em acréscimo, visa propiciar aos acadêmicos das áreas Biológicas e da Saúde da UFPR um contato inicial com a comunidade, com vistas a uma formação humanística e humanizadora, desenvolvimento de sensibilidade no trato com crianças e adolescentes e um treinamento adequado na comunicação verbal dos conceitos básicos de Biologia, com ênfase em higiene e saúde.

Atividade em sala de aula

Conta com a participação de acadêmicos dos Cursos de Ciências Biológicas, Informática Biomédica e Medicina, que com vigor e tenacidade tem contribuído para a tradução do saber universitário em transformação social.

Demandas das escolas

Uma das demandas invariáveis  das escolas vinculadas de alguma forma a este projeto refere-se a questões  críticas dos adolescentes, como a prevenção  gravidez precoce e DSTs. Para atender a esta demanda reprimida o projeto desdobrou-se na vertente da extensão universitária, com um subprojeto intitulado “O microscópio vai à escola”. Inicialmente são realizadas apresentações e dinâmicas nas salas de aula, que chegam ao ápice com a realização de uma oficina na qual são apresentados todos os materiais virtuais produzidos, com destaque para aqueles referentes aos sistemas do corpo humano. Especial relevo é conferido ao material interativo sobre ciclo menstrual e o sistema reprodutor feminino, que atende ao grande desconhecimento das adolescentes sobre o seu próprio corpo. Este projeto de extensão mantém um blog educativo com toda a estrutura adequado à faixa etária, na qual os adolescentes podem tirar dúvidas, rever conteúdos relacionados a esses temas e fazer o link para o sistema reprodutor feminino. Este espaço é está sendo intensivamente utilizado, com grande número de acessos nos dois últimos anos. Mantendo sua característica de manter permanente diálogo com os jovens o “microscopinho” pode igualmente ser seguido no Facebook.

 A universidade deve se preocupar com a formação de profissionais que estejam preparados para criar os ambientes de  aprendizagem adequados para ao estudo da Biologia  e estender o conhecimento produzido aos  profissionais já formados. Assim, este projeto tem igualmente o objetivo de contribuir na formação de professores através de incorporação de alunos graduação dos cursos de licenciatura, bem como contribuir com a atualização dos professores nas escolas e, desta forma, fomentar o desenvolvimento da consciência de sua responsabilidade social como possíveis agentes transformadores da realidade

Clique aqui e navegue por nossas páginas e conheça melhor o “Microscópio vai à Escola”.