2

 

 

OFICINA PEDAGÓGICA – 2014

“Os seres vivos – do micro ao macro”

Uma experiência de integração na formação do professor

 Apresentação

A escola enfrenta grandes desafios. Um deles é a formação de  indivíduos que conheçam o seu corpo e como ele funciona. Mas, além disso, que possam aplicar estes conhecimentos para melhorar a sua qualidade de vida. Outro grande desafio é a formação de cidadãos com conhecimentos suficientes sobre a nossa riqueza e  biodiversidade, capazes de participar das decisões relacionadas à ela.  Nesta oficina este dois grandes TEMAS  foram abordados de forma integrada. Dessa maneira, à medida que os estudantes visitavam as estações puderam focar a sua atenção ora em si mesmo, ora nos organismos vivos ao redor de si,  sempre fundamentados no eixo comum, os seres vivos.

Tema “Conhecendo o próprio corpo”

A gravidez precoce é  endêmica, considerada um grave problema de saúde pública em nosso país, e,  junto com ela as doenças sexualmente transmissíveis  (DSTs).  Os índices publicados pelo Ministério da Saúde são alarmantes.  Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 444.056 de brasileiras entre 10 e 19 anos deram a luz em 2009. A cada ano, cerca de 20% das crianças nascidas são filhos e filhas de mães adolescentes, e ao que tudo indica essa taxa tende a crescer. Além disso, estudos mostram um percentual de 42% de ocorrência de alguma doença sexualmente transmissível (DST) dentre gestantes de variadas faixas etárias.

Esse conjunto de dados assombrosos instigou graduandos e docentes da UFPR dos subprojetos PIBID-Biologia a refletir como o ensino de Ciências e biologia  auxiliar na reversão desse quadro. E mais, sabendo da influência do nível e qualidade da escolaridade nestes resultados, qual seria o papel da escola?

Buscando contribuir na conscientização e diminuição de tais índices nas escolas nas quais estes  pibidianos estão inseridos,  foi realizada uma oficina didática organizada em  estações, as quais abordavam alguma vertente dos seguintes temas: anatomia dos aparelhos reprodutores; desenvolvimento embrionário; uso de drogas na gravidez; fisiologia humana; métodos preventivos e contraceptivos e transmissão de DST’s. Nesta organização tivemos o objetivo de oferecer informações e esclarecer as principais dúvidas sobre os assuntos.

Descrição das estações do tema  “Conhecendo o próprio corpo”

Toda a oficina contou com recursos audiovisuais como vídeos e mídias interativas em flash, modelos celulares e anatômicos interativos, banners, experimentos e observações microscópicas, dentre outros. Procurou-se  abordar os temas de maneira dinâmica e interessante, alertando para os riscos  e responsabilidades da prática sexual, principalmente na adolescência.

Esta parte da oficina foi desenvolvida com a particpação do  Programa de Institucional de Bolsas e Iniciação a docência PIBID Biologia 1, Biologia 3.,  Iniciação Científica (IC), Extensão e Licenciar. Seque-s a descrição das estações  deste tema da oficina, indicando-se em cada um o programa responsável.  Neste sentido, a oficina foi também um exercício de trabalho multidisciplinar e colaborativo, no qual todas as partes devem funcionar de forma coesa e integrada.

ESTAÇÕES

Estação   “CÉLULA ANIMAL 3D interativa”

Desenvolvimento e apresentação – PIBID Biologia 1 e 3

Nesta estação os estudantes puderam interagir com uma célula 3D interativa, construída por uma pibidiana  e disponível em http://www.nuepe.ufpr.br/portal/?page_id=663.  A interatividade  com o material virtual nos computadores chamou muito a atenção dos estudantes. A   célula 3D aqui construída , além de trazer as informações científicas pertinentes, propicia uma experiência impactante  de navegação  e interatividade  com a estrutura celular, em perfeita consonância com os mais avançados recurso tecnológicos. Isso adquire especial importância  se considerarmos que a atual  geração de alunos do nosso sistema educacional é a geração visualmente mais estimulada que já existiu.  Os estudantes estão imersos em um mundo de recursos e artefatos tecnológico em informação  e comunicação. Estas tecnologias participam da moldagem das funções cognitivas propiciando o surgimento de novos estilos de raciocínio e conhecimento humanos e têm profundos reflexos no ato de aprender, sendo incorporadas na educação no mundo todo. Assim, a célula 3D pode servir como um recurso poderoso para a aprendizagem da estrutura e função celular

Os tecidos do corpo – Aprendendo interativamente

Desenvolvimento e apresentação – PIBID Biologia 1

Como as células se associam no organismo?

Esta estação contou com um  atlas histológico virtual interativo em HTML.  O atlas histológico desenvolvido possui um apelo visual contemporâneo e grande interatividade, em sintonia com a realidade cultural em que estão inseridos os alunos. Essa sincronia favorece o estabelecimento de uma via de comunicação efetiva entre o conhecimento e o educando. Outro aspecto que se destaca na utilização do aplicativo pelo aluno refere-se ao entendimento da localização dos tecidos nos órgãos. Contornam-se, assim, as dificuldades de compreensão que advém das metodologias tradicionalmente utilizadas, nas quais os tecidos histológicos são apresentados de forma isolada, retirados do corpo, e, desta forma, destituídas de sentido ou significado. A abordagem integrada do atlas propicia, por exemplo, na língua, analisar os tecidos epitelial, conjuntivo e muscular em uma arquitetura definida e com uma relação espacial e funcional. Este conjunto permite a compreensão das estruturas e funções dos tecidos e suas peculiaridades na composição do órgão. Ao navegar pelo intestino o aluno pode observar os mesmos tecidos, epitelial, conjuntivo e muscular, porém neste outro órgão, com outras características. Em ambos ele visualiza o tecido epitelial: na língua, estratificado, e no intestino, simples. Dessa forma, o atlas desenvolvido, através da interação dinâmica que a navegação entre as lâminas histológicas permite, proporciona ao aluno a construção de seu próprio roteiro de aprendizagem.

ANATOMIA

Desenvolvimento e apresentação – PIBID Biologia 1,  3 e projeto de extensão “O microscópio vai à escola”

Como o corpo humano é formado? Quais sã os seus órgãos? Qual é a relação entre eles?

Esta estação teve como objetivo permitir um maior conhecimento sobre o corpo humano. Enfatizou a localização e morfologia dos diferentes órgãos e o funcionamento dos sistemas fisiológicos. Para tanto, foram disponibilizados modelos anatômicos e banners ilustrativos, permitindo a visualização e o contato com as estruturas. Entender a anatomia nos permite conhecer melhor o funcionamento do nosso corpo, com seus potenciais e limitações, o que eleva o auto-cuidado e a preservação.

ÓRGÃOS E SISTEMAS

Desenvolvimento e apresentação – PIBID Biologia 1 e  3

Células se organizam em tecidos…Tecidos se organizam em órgãos…Órgãos se organizam em sistemas…E agora?

Na estação Órgãos e Sistemas o funcionamento do corpo humano foi o foco principal. Maquetes, banners, artefatos virtuais e modelos didáticos foram utilizados para mostrar como funcionam os principais sistemas que compõem nosso organismo. Os modelos utilizados foram confeccionados pelos próprios membros da equipe de maneira que possibilitou a interação. E, além disso, alguns poderiam ser manuseados pelos alunos para que eles mesmos fizessem o sistema funcionar. Por exemplo, para a representação do Sistema Nervoso, um par de baterias, sob um cérebro de papel machê, alimentava um par de fios que ligavam a uma lâmpada (acoplada a um olho de massa biscuit), simulando a visão, e a um cooler, simulando os pulmões. Com representações atrativas e interativas, como esta, foram exibidos também os sistemas Digestório, Respiratório, Excretor e Circulatório.

Para demonstração também foram fabricados análogos dos sistemas bastante didáticos e funcionais, como: esquema de fios elétricos para representação de sistema nervoso; esquema de ductos para representação do sistema digestório; esquema de pequenas mangueiras e frascos, além de banner, para representação do sistema circulatório; animação com menus, para demonstração do sistema digestório; esquema de garrafa PET e bexigas para representação do sistema respiratório; modelo anatômico de torso para localização e integração dos sistemas; alguns modelos foram produzidos em papel machê e massa de biscuit.

GAMETOGÊNESE

Desenvolvimento e apresentação – PIBID Biologia 1

O que são os gametas? Como eles são formados? Afinal, de onde mesmo vêm os bebês?

Essa estação teve como objetivo explicar e mostrar a formação dos gametas femininos, os ovócitos II, e dos masculinos, os espermatozoides. Para tal, foram expostos modelos de células em biscuit representando as divisões celulares. Os dois tipos de divisões celulares – mitose e meiose – foram sucintamente explicados para tornar possível a compreensão da importância de uma divisão diferenciada para a formação dos gametas em contraste com a divisão realizada para a formação dos tecidos. Todas as fases envolvidas no processo da ovogênese e da espermatogênese foram apresentadas, destacando as principais diferenças entre a formação de gametas femininos e masculinos.

Para que os alunos pudessem visualizar  os tecidos reais, foram disponibilizados dois microscópios, um com uma lâmina de ovário e o outro com uma lâmina de testículo para que os estudantes pudessem observar estruturas relacionadas com a produção e liberação dos gametas. Também foi disponibilizado um notebook contendo uma animação interativa sobre o aparelho reprodutor feminino.        Os alunos demonstraram interesse na estação, apresentando dúvidas e algumas vezes, principalmente os mais novos, dificuldades na compreensão por se tratar de um conteúdo novo para eles.

CICLO MENSTRUAL

Desenvolvimento e apresentação – PIBID Biologia 1 e  3

Cólica, hormônios, formação do ovócito e a bendita menstruação. Toda menina, mulher e até os rapazes já ouviram esses termos, mas…Como é o ciclo menstrual?

Para a abordagem do Ciclo Menstrual foram utilizados banners que descreviam toda a fisiologia deste processo complexo do organismo humano, apresentando a sequência dos hormônios envolvidos no processo de forma objetiva, desde sua origem até sua atuação no ciclo.

Para promover uma maior interação, foi elaborada uma maquete em forma de círculo que mostrava o sistema em seis etapas e que podia ser manuseada pelos estudantes. Ao girar o disco, os participantes podiam acompanhar todo o processo do ciclo menstrual, desde as modificações no útero e ovários até curiosidades sobre as mudanças no comportamento feminino, contando sempre, com a instrução e o auxilio dos monitores da estação.

FECUNDAÇÃO

Desenvolvimento e apresentação – PIBID Biologia 1

União das células gaméticas, feminina e masculina, para o possível desenvolvimento do organismo. Peraí! até aí todo mundo já sabe…Mas e como ocorre a fecundação nos sapos? E o que acontece para que se formem gêmeos?

Nesta estação apresentamos uma maquete com o sistema reprodutor feminino feito em biscuit e isopor, na qual o centro possuía “caminhos” que os alunos poderiam trilhar, guiando um pequeno espermatozoide, também em biscuit, em direção ao ovócito nas tubas uterinas. Nesta parte da apresentação, procuramos demonstrar como ocorre a fecundação interna, a que ocorre nos humanos, onde e como ocorre essa fecundação. Além disso, integramos também, aspectos do ciclo menstrual, formação do embrião e como ocorre a formação de gêmeos.

Após, com o auxílio de um modelo de ovócito em bola de isopor e biscuit, mostramos o que ocorria com o gameta feminino após a penetração do espermatozoide. Para isso, levamos dois sapos de pelúcia, e explicamos como ocorre a cópula nesses animais e que tanto a fecundação como o desenvolvimento dos ovos ocorre externamente ao corpo da fêmea, para dar a noção aos alunos das mais variadas formas de desenvolvimento e tipos de fecundação.

DIFERENCIAÇÃO CELULAR E DROGAS NA GRAVIDEZ

Desenvolvimento e apresentação – PIBID Biologia 1

Durante a gravidez toda gestante precisa fazer o pré-natal e cuidar bastante da saúde. Certo? Por quê? E quando a mãe fuma, consome álcool, ou drogas durante a gestação? O que acontece com a criança?

Esta etapa da oficina tinha como principal objetivo esclarecer como o uso de drogas, lícitas e ilícitas, afeta os primeiros estágios da gravidez e a diferenciação celular do organismo. Contava com cinco modelos esquemáticos, entre eles: células diferenciadas (neurônio, células do intestino, tecido sanguíneo e macrófago) e células indiferenciadas, a explicação sobre o tema ocorreu de maneira bastante clara e elucidativa.Para que houvesse uma visão mais realista dos modelos esquemáticos, foi utilizado um microscópio de luz com uma lâmina de tecido sanguíneo, parte da estação pela qual os alunos ficaram bastante interessados e intrigados. Para facilitar a compreensão, e consequente análise do aprendizado dos alunos, foram realizados também jogos de pergunta e resposta.

Segue-se abaixo a descrição das demais estações deste tema apresentados pelo proejto de extensão “O Microscópio vai à Escola”

PREVENÇÃO E GRAVIDEZ PRECOCE
Projeto de extensão “O microscópio vai à escola”
Ai! Tô grávida! Este é um risco real! Como prevenir-se? E como evitar as DST’s?
Essa etapa da oficina foi construída e apresentada por: Essa estação apresentou e discutiu com os adolescentes presentes os métodos contraceptivos mais indicados essa fase da vida: a pílula anticoncepcional e a camisinha, que juntas previnem tanto a gravidez como as DST’s (lembrando que somente a camisinha é capaz de previnir DSTs). Foram apresentados também outros métodos que evitam a gravidez, mas que não são recomendados para os jovens, como métodos cirúrgicos (laqueadura e vasectomia) e o DIU (Dispositivo Intra-Uterino) que é indicado para mulheres mais maduras.A gravidez na adolescência é um assunto de muita importância atualmente, pois a idade média com a qual os jovens têm sua primeira relação sexual vem diminuindo nos últimos anos. Uma vez que muitos adolescentes não possuem a maturidade necessária para tanto e muitas vezes estão despreparados para as consequências de uma gravidez indesejada, a disseminação de informações que ajudem a evitá-la se torna ainda mais necessária.De acordo com as reações observadas nos alunos, o impacto nos estudantes foi bastante positivo, pois eles puderam tirar suas dúvidas em relação ao uso dos métodos contraceptivos além de obter um bom aproveitamento das informações contidas nesta estação.
AS DROGAS E SEUS EFEITOS
Projeto de extensão “O microscópio vai à escola”
Será que substâncias como o álcool e o cigarro são menos nocivas já que são drogas lícitas? Será que uma droga só possui efeitos prejudiciais? Quais as drogas mais consumidas entre os adolescentes?
O consumo de drogas pelos estudantes de ensino fundamental e médio tem gerado grande preocupação de pais e professores. Estudos prévios indicam que as drogas mais utilizadas pelos alunos da rede pública em Curitiba são: álcool, tabaco, maconha, solventes e inalantes. Neste contexto, a estação sobre drogas teve como objetivo informar os estudantes sobre efeitos das drogas e conscientizá-los sobre a dependência decorrente de seu uso. Um jogo de cartas foi feito para que os estudantes associassem cada droga com seus principais efeitos, o que pode revelar suas dúvidas e leva-los à reflexão. Foram igualmente abordados mitos sobre o álcool e os danos pulmonares  causados pelo tabagismo, em nível macro e microscópico.
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (DST’s)
Projeto de extensão “O microscópio vai à escola”
Mantenha seus amigos por perto...e seus inimigos mais perto ainda. Esse ditado é o que permeia os estudos sobre DST’s.  Afinal, quando as conhecemos, podemos lidar melhor com elas.  E por que não uma conversa descontraída sobre o assunto?A estação sobre as doenças sexualmente transmissíveis DSTs foi idealizada para ser composta por jogos e dinâmicas, porém se mostrou mais eficiente como um espaço aberto para uma conversa de caráter técnico-científico, porém em linguagem despojada e próxima à dos adolescentes.Voltada aos aspectos gerais sexualidade e, em particular, às doenças de transmissão sexual, a estação pretendia abrir um espaço em que os questionamentos e inquietudes dos estudantes pudessem ser acolhidos com naturalidade e atenção adequada.
CÉLULA EUCARIONTE E PROCARIONTE
Projeto de extensão “O microscópio vai à escola”
Toda célula possui núcleo? E como ocorre a organização daquelas, como as bactérias?
Esta estação teve como objetivo introduzir o conhecimento da estrutura dos diferentes tipos de células correlacionando a suas funcionalidades dentro do organismo. Utilizando uma linguagem mais interativa, a partir de modelos em grande escala das células, filmagem de células vivas e microscópio, buscamos prender a atenção dos alunos demostrando a importância das células para a constituição da vida, bem como evidenciar a relevância deste conhecimento para compreensão de seus próprios corpos.
MICRORGANISMOS
Projeto de extensão “O microscópio vai à escola”
Germes: bactérias, fungos e seus amigos. Quando criança você aprendeu que precisava lavar as mãos antes das refeições. E isso porque a ingestão de germes faz mal, certo? Mas será que todos os microrganismos são prejudiciais?
Esta estação teve como objetivo demonstrar a importância dos microrganismos para os seres humanos, tanto em seus aspectos positivos como negativos. Para demonstrar os aspectos positivos, realizou-se um experimento de fermentação por leveduras, destacando a importância desses organismos o dia a dia da vida humana. Para dinamizar o processo da fermentação, foi feita uma demonstração paralela com fermento químico. Os aspectos negativos que a microbiota pode causar, no entanto, também foram salientados. Com isso, a estação abordou a correta lavagem das mãos, através de um experimento com tinta fosforescente diluída em água que, ao ficar impregnada em regiões da mão que não foram corretamente lavadas, era visualizada facilmente com luz negra.
Doenças em geral
Projeto de extensão “O microscópio vai à escola”
Mas, são só as famosasDST’s (doenças sexualmente transmissíveis) que importam quando falamos de saúde do corpo?
A estação Doenças teve por objetivo apresentar algumas das doenças prevalentes no dia-a-dia, como gripe, dengue, verminoses, pediculose, dentre outras. De forma breve, foram discutidas as características, seus mecanismos e as suas formas de prevenção. Utilizando-se imagens e lâminas parasitológicas, cada doença foi apresentada de forma sucinta e direta, visando alertar sobre os impactos e consequências negativas que tais patologias podem trazer.